O assunto é: Distimia e depressão

21/12/2010

No ar mais um "O assunto é", e o assunto de hoje é: "Distimia e depressão".

O que é depressão
A depressão é uma doença médica séria. Em contraste com as experiências normais de tristeza, perda e mudanças de humor, a depressão é persistente e pode interferir significativamente com a capacidade do indivíduo funcionar.
 
O que é distimia
Algumas pessoas têm uma forma menos severa porém crônica de depressão chamada distimia. A distimia é diagnosticada quando o humor depressivo persiste por mais de dois anos e é acompanhado por pelo menos dois outros sintomas de depressão. Estima-se que 1,6% dos adultos americanos tenham distimia. Muitas pessoas com distimia também têm episódios de depressão mais severa.
 
Sintomas de depressão
Os sintomas de depressão incluem humor triste persistente, falta de interesse ou prazer em atividade que outrora eram prazerosas, alterações no peso e apetite, dificuldade de dormir ou sono exagerado, agitação ou lentidão, perda de energia, sentimento de falta de importância ou culpa inapropriada, dificuldade de pensar ou concentrar, pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.
O diagnóstico de transtorno depressivo maior é feito se a pessoa tem cinco ou mais desses sintomas e prejuízo nas funções normais diárias durante o período de duas semanas. Quando a pessoa tem pelo menos dois desses sintomas e humor depressivo persistente por mais de dois anos, ela pode ser diagnosticada com tendo distimia.
Transtorno depressivo maior geralmente começa entre os 15 e 30 anos de idade ou até mais cedo. Os episódios de depressão geralmente são recorrentes. Transtorno depressivo maior pode ser devastador em todas as áreas da vida cotidiana, incluindo família, relacionamentos, amizades, e a capacidade de trabalhar ou estudar.
Muitas pessoas acham que podem ser capazes de superar os sintomas da depressão sozinhos com força de vontade. Por causas dessa crença, pessoas com depressão podem não reconhecer que têm uma doença tratável e não procurar o tratamento médico. Muitas vezes, a falta de tratamento médico da depressão pode levar ao suicídio.
Pesquisas têm mostrado que o estresse decorrente da perda, principalmente morte, de familiar ou pessoa próxima pode engatilhar o transtorno depressivo maior em pessoas vulneráveis. Adicionalmente, pesquisas suportam a existência de componente genético no risco da pessoa desenvolver depressão.
 
Tratamentos para depressão e distimia
Os remédios antidepressivos são amplamente usados e eficientes no tratamento da depressão. Antidepressivos influenciam o funcionamento de certos neurotransmissores (químicos usados pelo cérebro para comunicação), principalmente serotonina, norepinefrina e dopamina.
Psicoterapia também pode ser eficiente no tratamento da depressão. Certos tipos de psicoterapia, como a cognitiva comportamental e interpessoal, têm mostrado serem particularmente úteis. Mais de 80% das pessoas com depressão melhoram quando recebem tratamento apropriado com medicação, psicoterapia, ou ambos.

Fonte: Copacabana Runners
©2010-Cinequarto

0 Soltaram a voz!:

Postar um comentário

Gostou ? Então comenta! Sua participação é muito importante para nós!

AtRaÇõEs ReCeNtEs ...








Siga-nos no Twiiter:

 
CINEQUARTO TV © 1997-2017 | Designed by Júnior GrigoloCTV Theme