O assunto é- Fina Estampa

06/12/2011


Olá, está no ar mais uma temporada do post, que já é um clássico aqui do blog, "O assunto é", que agora não mais no comando de Júnnyor Grigolo, e sim, de volta sob o meu comando, Caio Blinnter, depois de ficar ausente na temporada passada, agora to de volta, e vamos direto ao assunto de hoje que é: Fina Estampa.

Fina Estampa
Aposto que logo quando você leu o título desse post,  deve ter pensado, esse post será sobre a novela das 9, da Rede Globo, não, e sim, não diretamente sobre a novela, mas também, sim, citaremos a novela como exemplo.
Fina Estampa, é algo, caro, fino, de luxo, não é pra qualquer um, é para quem pode, para quem tem poder, para quem é de berço, quem não nasceu em berço de ouro, jamais será da alta sociedade. Isso que foi citado agora, é algo fútil, preconceituoso e completamente sem sentido algum, a novela Fina Estampa, está mostrando isso de forma clara, e bastante original, mostrando somente a realidade em que vivemos, realidade essa, onde ricos, excluem, esnobam, maltratam, aqueles que estão por baixo, e que muitas vezes, são os que o servem, mas eles jamais reconhecem o trabalho dos seu súditos.

Porque existe diferenças entre classes sociais?
A diferença entre classes sociais, e a desunião entre ambas, é algo que ainda ocorre, porque ainda tem pessoas que tem vergonha, desprezo, nojo de pessoas que são de baixa renda, e muitas vezes, extrapolam, fazendo dos mesmos, seus escravos, e ai deles, se não fizer, o que "eles", os que estão por cima, pediram.
Essa diferença é algo que com o passar dos anos, ao invés de diminuir, vem aumentando, os pobres, analfabetos, são excluídos da sociedade, são tratados muitas vezes como animais, não tem chances, não tem vez, nem voz, apenas obedecem.

Um exemplo de descaso
Não sei se vocês sabem, mas o blog CTV, fica aqui em Júlio de Castilhos, um município do interior do RS, recentemente, ocorreu uma tragédia em nossa cidade, onde, dois trabalhadores, foram soterrados por 3 toneladas de grãos, em uma empresa, cujo nome não irei citar, nem o nome das vítimas, enfim, dois jovens, um de 22, outro de 25 anos, morreram soterrados, funcionários esses, inexperientes, amadores, foram ordenados à executar uma tarefa, na qual eles não tinham sequer, nenhuma experiência, apenas cumpriram a ordem, então, um deles, puxou sem querer uma das portas erradas do cilo, onde estavam armazenados os grãos, e o mesmo veio abaixo, soterrando os dois jovens.
Mas agora direi à você, o que isso tem a ver com o nosso assunto de hoje, então, prosseguindo com o caso, os dois jovens estavam soterrados, e funcionários da própria empresa, se dispuseram para ajudar a salvar os dois jovens, mas foram ordenados à não fazer isso, pois poderiam, "danificar os grãos".
Ou seja, os grão não poderiam ser danificados, mas os jovens poderiam continuar soterrados, os corpos só foram retirados dois dias após o incidente, duas vidas se foram, e 3 toneladas de grãos estão lá, salvos, 3 toneladas é muita grana, duas vidas, não tem preço. Agora eu pergunto, e se fosse um gerente da empresa? E se fosse o prefeito? E se fosse alguém de classe AAAAAAA...Seria  diferente? Com certeza seria, pois, dois jovens humildes, trabalhadores, poderiam ser salvos, eles  que me desculpem, mas que foi um descaso, e uma sacanagem o que fizeram com esses dois rapazes, foi.
Pois se eles tivessem grana ou se fossem o presidente, ou alguém muito importante, seriam resgatados no mesmo dia, talvez em poucas horas ou minutos, mas como não eram.
Sei que o local era de risco, mas fala sério, com tantas máquinas, com tantos equipamentos, porque isso demorou tanto, ah, lembrei, já tinha esquecido, os grãos não poderiam ser danificados.

Se eu ganhar na loteria entrarei para alta sociedade, nem sempre!
Hoje eu sou pobre, humilhado, desprezado, com poucos amigos, mas então fiz a Mega da Virada, e de repente fiquei milionário, desde aí,  chove amigos, parentes que até então eu nem conhecia, nem sabia que existiam, isso é o normal, mas agora, entrar para a alta sociedade, é outros 500 meu amigo.
Como eles, os ricos, dizem, quem não nasceu em berço de ouro, jamais poderá ter um. Mesmo que você ganhe todo o dinheiro do mundo, sempre irá ter um certo preconceito, em relação aos novos milionários, em alguns casos, isso pode não acontecer, pois as pessoas mudam e esquecem do passado, esquecem que já foram pobres, e muitos cometem os mesmos erros, que cometeram com eles no passado, querendo descontar em outros, o que fizeram consigo.

O que fazer para essa realidade mudar?
Como a própria  novela vem mostrando, essa realidade está longe de acabar, é difícil dizer na verdade o que fazer para que isso não ocorra, pois é algo do próprio ser humano, as pessoas são imprevisíveis, é um querendo ser mais do que o outro, ganhar mais do que o outro, aparecer mais do que o outro, e os outros, são os outros, são aqueles que sonham, que ralam para chegar no topo, mas que certamente se um dia chegar, com certeza, cometerão pelo menos uma vez na vida, os mesmos erros de quem já está por cima, de quem já é, uma fina estampa. Eu sou Caio Blinnter e esse foi: "O assunto é", até semana que vem!
©Grupo Cinequarto

0 Soltaram a voz!:

Postar um comentário

Gostou ? Então comenta! Sua participação é muito importante para nós!

AtRaÇõEs ReCeNtEs ...








Siga-nos no Twiiter:

 
CINEQUARTO TV © 1997-2017 | Designed by Júnior GrigoloCTV Theme