Campus Party 2012

08/02/2012

Veja o que é destaque no Campus Party 2012 nos principais sites do Brasil:


Super Heróis e Vilões dão show entre os Casemods no Campus

Campus Party não seria a mesma sem seus famosos casemods. O termo, que vem da junção de duas palavras em inglês que significam “caixa” e “modificação”, define o hobby de muitos dos campuseiros. As modificações podem focar no desempenho, com peças de última geração preparadas para rodar qualquer tipo de jogo, ou no visual. Na edição de 2012, a coisa não foi diferente.
Perambulando pelos corredores do evento, vemos todos os tipos de modificações possíveis, que vão desde computadores feitos inteiramente de madeira, até os com formatos de super-heróis. Entre um casemod e outro, ninguém nega: este é um hobby caro e que não dá lucro nenhum aos seus praticantes. Mas não é dinheiro que essas pessoas procuram. E, sim, a felicidade de realizar um sonho, parecido com aquele de criança quando ganha um videogame novo.
Homem de Ferro na Campus Party (Foto: Rodrigo Bastos/TechTudo)IMG_0061Casemod dos Simpsons (Foto: Rodrigo Bastos/TechTudo)
IMG_0059Casemod do Coringa na Campus Party 2012 (Foto: Rodrigo Bastos/TechTudo)
Texto: Flavio Croffi
Fonte: Techtudo

Estande do Submarino oferece recarga gratuita


Por Fernanda Morales
Os visitantes da quinta edição da Campus Party, que acontece entre os dias 6 e 12 de fevereiro, em São Paulo, poderão ficar tranquilos se a bateria dos seus aparelhos móveis descarregar, pois o estande do Submarino oferece recarga gratuita para todos os tipos de smartphones, tablets e notebooks.
A empresa irá oferecer bancadas individuais para que os campuseiros possam recarregar seus aparelhos e continuar os utilizando. Cada bancada terá uma gaveta com chave, onde os carregadores universais estarão armazenados.
O mais interessante é que as gavetas ainda podem garantir alguns brindes para os visitantes como vale pizza ou energéticos, basta os campuseiros encontrarem os vales dentro de suas gavetas.
Fonte:Geek
Censura do Pipa e Sopa tem germe no Brasil
Marcelo Branco, coordenador de mídias sociais da campanha de Dilma Rousseff, criticou Lei do Direito Autoral no País. Foto: Rafael Maia/Terra
Para Marcelo Branco, o 1º coordenador da Campus Party e da área de mídias sociais da campanha de Dilma Rousseff à presidência em 2010, o Brasil não está imune aos movimentos legislativos que preveem a censura na web, altamente em voga em países como os Estados Unidos. "O Pipa e o Sopa brasileiros têm um germe na reforma da Lei do Direito Autoral do Ministério Público", gritou ao microfone para os campuseiros enquanto dançava a música "eu sou a mosca que posou na sua sopa".
Segundo Branco, a reforma da Lei proposta pelo Ministério Público possui uma armadilha que pode prejudicar, em consonância com o discurso do rapper Emicida também na Campus Party, um dia antes, a população na medida em que beneficia as gravadoras e os grandes estúdios de produções audiovisuais. Para o especialista, isso é similar ao Pipa - Protect IP Act - e ao Sopa - Stop Online Piracy Act, duas das mais polêmicas leis norte-americanas que legislam em favor dos direitos autorais e da propriedade intelectual das obras.
"Pela lei no Brasil, se a empresa se sentir prejudicada, ela pode tirar o site que tiver um conteúdo não autorizado com direito autoral do ar na mesma hora. Isso é inconstitucional. Isso é censura e está errado", afirmou. Branco entende que, na verdade, o Congresso deveria estar trabalhando sobre o Marco Civil, que legisla plausivelmente a web brasileira, dentro dos dizeres da Constituição. "Este é um ganho da sociedade brasileira", disse.
No momento, porém, a discussão do Marco Civil está suspensa por tempo indeterminado. Também na Campus Party, na terça-feira, o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que o projeto do Marco Civil da internet no Brasil não possui opositores e que, dentro de pouco tempo, a pauta deve ser retomada.
Fonte: Terra


Super computador custa dezenas de milhões
Máquina é capaz de abastecer cidade de 1 milhão de habitantes. Foto: Mauro Horita/TerraAinda que alguns dos sete mil campuseiros que estão na Arena, na Campus Party Brasil, não entendam de dados técnicos, não é difícil reconhecer a megacapacidade do computador central do maior evento geek do planeta. Em entrevista exclusiva ao Terra, Ari Falarini, diretor geral de redes da Telefônica|Vivo, contou que a aparelhagem da Campus, capaz de abastecer uma cidade de 1 milhão de habitantes, custou "dezenas de milhões de reais".

O supercomputador, que fica no coração do pavilhão do Anhembi Parque, é protegido por paredes de vidro e forte ar-condicionado interno. Não é para menos. Ele é responsável pelo dobro da capacidade de rede em relação ao ano passado. Em 2011, a rede total era de 10 Gbps. Nesta edição, a rede disponível é de 20 GBps, somados a mais 20 GBps de reserva, liberáveis caso a conexão de 100 Mbps chegue perto do limite.
"O cálculo da quantidade de placas de rede disponíveis é feito a partir do histórico do evento, que aumenta de 30% a 40% todo ano", afirmou Falarini sobre a Campus, que está, atualmente, na 5ª edição no Brasil. Além disso, caso o "teto" da internet estoure, mesmo com os 40 GBps, é possível instalar mais placas de rede para aumentar ainda mais a capacidade da máquina, que é o cérebro do evento.
"A ideia é o supercomputador servir para o propósito do evento, que é fazer o usuário experimentar algo novo, algo sem limitação. Este é o conceito da Campus", encerrou Falarini. É notável que, na terça-feira, quando um temporal atingiu a cidade de São Paulo e molhou o pavilhão, a internet não sofreu queda nem lentidão, como na edição passada quando uma situação similar aconteceu.
Campus Party 2012
A Campus Party, o maior evento geek do planeta, realizado em mais de sete países, acontece entre os dias 6 e 12 de fevereiro de 2012. A sede é o Pavilhão de Exposições do Anhembi Parque, na zona norte de São Paulo (SP). Pelo quinto ano consecutivo no Brasil, a edição de 2012 já começou batendo recordes: todas as entradas foram vendidas em 22 dias em setembro do ano passado.
Com 7 mil participantes, sendo 5 mil acampados no local , a Campus Party oferece neste ano mais de 500 horas de conteúdo. Os principais nomes desta edição são Michio Kaku, conhecido como o "físico do impossível", Sugata Mitra, pesquisador e professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University, Julien Fourgeaud, gerente de produtos e negócios da Rovio, John Klensin, pesquisador do MIT, e Vince Gerardis, co-fundador da Created By, entre outros.
A programação do evento tem transmissão ao vivo pelo http://live.campus-party.org e aqueles que quiserem interagir com a transmissão pelas redes sociais podem enviar perguntas para os palestrantes. As hashtags exclusivas para cada uma das áreas de conteúdo são: Ciência - #cpbrCI; Cultura Digital - #cpbrCD; Entretenimento Digital - #cpbrED; Inovação - #cpbrIN e Palco Principal - #cpbrMainStage. A hashtag oficial do evento é #cpbr5.
Fonte: Terra
Juju Salimeni divulga nova rede social no Campus
Ex-panicat Juju Salimeni falou sobre a nova rede social que está divulgando  Foto: Mauro Horita/Terra
A legendária divulga nova rede social Ticies , veja foto acima.
Reality show no Campus
DivulgaçãoUma das grandes novidades dessa edição, é uma espécie de reality show, no Campus o "Like a Boss", 3 empresas participam do jogos de empresas, são eles: Queroo(de lista de presentes na web),  Tableshare (de compartilhamento de refeições) e a Youcast(de vídeos) os participantes do evento podem acompanhar o reality que acontece no local, além disso, visitantes que querem iniciar um negócio ou já tem um, receberão informações sobre direito digital, tributação fora que serão realizados cursos e palestras. Bacana não.
Mobilidade Social
O Campus Party também debate sobre mobilidade social, a Fundação Vanzolini, estará presente mais uma vez no evento, além de dar apoio tecnológico, ainda irá promover um debate sobre mobilidade digital e educação, o principal objetivo do debate é trazer novas formas de pensar a educação, usando tecnologia à favor de um futuro melhor na educação, usando os principais dispositivos móveis, tais como celulares, laptops, tablets entre outros.
Internet 0800 e 4G para 2013, será?
 Paulo BernardoImagine um serviço de internet "a cobrar", nos moldes do sistema telefônico 0800, no qual o receptor da conexão é quem paga para o usuário se conectar. Um projeto desses está sendo discutido pelo Governo Federal e deve começar a ser testado nos próximos meses, de acordo com o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. 

O projeto está sendo discutido entre o Ministério das Comunicações, o Comitê Gestor da Internet (CGI.br) e a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) e deve entrar em fase de testes a partir de março na região de Varjão (Brasília).

"Queremos criar uma conexão não tarifada como existe na telefonia. O usuário entra no site e quem paga é a empresa responsável por ele", explicou. "É uma espécie de 0800 digital. Pode ser uma alternativa para bancos, que estimulam o acesso eletrônico, e para serviços de call center", explicou o ministro.

Paulo Bernardo não deu muitos detalhes, mas afirmou que o projeto piloto pode indicar os caminhos que a internet 0800 deve seguir.

4G

O leilão para a venda da faixa 2,5GHz, voltada para conexões móveis 4G, deverá ser realizado em maio, afirmou o ministro. Paulo Bernardo disse que o edital será publicado no dia 16 de abril e terá prazo de 30 dias. A presidenta Dilma Rousseff queria tudo pronto para 30 de abril mas, com a nova data, o leilão deve ser atrasado em cerca de 15 dias.

A venda da faixa permitirá a exploração das redes LTE no Brasil. O Governo Federal espera que as primeiras redes comerciais estejam disponíveis em 2013 nas cidades que serão sede da Copa das Confederações e, até o fim do ano, em todas as que receberão jogos da Copa do Mundo de 2014. Depois disso, a expansão para outras regiões do país deve ser gradual.

"Até a Copa do Mundo, todas as cidades com 500 mil habitantes terão 4G", disse Bernardo. "Estamos preocupados em atender também quem não tem acesso. Hoje temos 3G em 3 mil municípios e dificilmente chegaremos aos outros a curto prazo."

Para regiões rurais, o Governo Federal fará o leilão da faixa de 450MHz, que permite uma conexão mais lenta, porém mais fácil de ser implementada. "O 450MHz é antigo. Vai servir para atender pequenas comunidades. A tendência é que um serviço de melhor qualidade seja oferecido no futuro", disse.

O Governo Federal tenta vincular o leilão do 450MHz ao do 2,5GHz, mas enfrenta resistência das operadoras de Telecom. "Estamos fazendo a consulta pública, vamos ouvir todas as partes e, se tiver que mudar para melhor, vamos mudar", concluiu.
Texto: Daniel Junqueira
Fonte: Olhar Digital


A morte do Seu Barriga??
Seu BarrigaUm triste fato atingiu os visitantes da Campus Party, pegos de surpresa com a seguinte notícia: Seu Barriga, o famoso gordinho brigão do seriado mexicano Chaves, faleceu na tarde desta quarta-feira (08/02). Seria algo chocante, não fosse por um pequeno detalhe: a informação é falsa!

Com certeza, pegamos muitos de vocês ao soltar nas redes sociais o acontecimento. Mas calma, pois tudo não passou de uma brincadeira encabeçada por Maurício Cid, do blog Não Salvo, que participou de uma palestra no evento nerd, em São Paulo.

A ideia era mostrar como uma notícia, veiculada por muitas pessoas na web, pode se tornar verdadeira em apenas poucos minutos. Cid sugeriu que inventássemos um boato para então soltá-lo em nossos sites pessoais, através de notebooks, tablets e smartphones. E deu certo! Em menos de 15 minutos, a "morte" do Senhor Barriga havia se espalhado pelo Twitter, e há pouco tempo, por volta das 15:15, a hashtag #RIPSEUBARRIGA alcançou os Trending Topics do Brasil e a frase "Seu Barriga" virou um dos assuntos mais comentados no mundo.
É o poder na internet, caros amigos!
Fonte: Olhar Digital
Hackers constroem futuro da música
Dave Haynes criou Music Hack Day, maratona hacker onde desenvolvedores passam 24 horas criando novos aplicativos de música. Foto: Ismael Cardoso/TerraO vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios do SoundCloud, Dave Haynes, afirmou nesta terça-feira, durante palestra na Campus Party Brasil, a importância de desenvolvedores para o futuro da indústria musical. "Enquanto tem muita gente discutindo o futuro da música, os hackers estão construindo esse futuro", disse.
INFOGRÁFICCampus Party está no Anhembi; oriente-se pelo maO executivo da popular plataforma de compartilhamento de música na nuvem também é criador do Music Hack Day, maratona hacker onde desenvolvedores passam 24 horas desenvolvendo novos aplicativos de música.
Para Haynes, o evento é um casamento entre os amantes da música e tecnologia, e os "desenvolvedores são cruciais para o futuro da música". "Eles desenvolvem novas ferramentas para criar novas formas de consumo, interação e descoberta de música", afirmou Haynes.
As novas tecnologias de compartilhamento e consumo de música estão diminuindo o poder dos antigos "gatekeepers", segundo Haynes. Para ele, gravadoras e produtores musicais estão perdendo espaço na indústria. "Os desenvolverdores são essenciais para mudar a forma como descobrimos e interagimos com a música. As possibilidades são infinitas", afirmou.
O Music Hacker Day já teve mais de 3 mil participantes em todo mundo. O Brasil recebe pela primeira vez o evento nesta terça-feira, durante a Campus Party. A partir das 14h15, hackers passarão 24 horas desenvolvendo novas plataformas e aplicativos de música.
Na quarta-feira, às 14h15, os aplicativos serão demonstrados no palco Música. O hacker que desenvolver a melhor plataforma ganha uma viagem para São Francisco, nos Estados Unidos, para participar da Campus Party no Vale do Silício.
Campus Party 2012
A Campus Party, o maior evento geek do planeta, realizado em mais de sete países, acontece entre os dias 6 e 12 de fevereiro de 2012. A sede é o Pavilhão de Exposições do Anhembi Parque, na zona norte de São Paulo (SP). Pelo quinto ano consecutivo no Brasil, a edição de 2012 já começou batendo recordes: todas as entradas foram vendidas em 22 dias em setembro do ano passado.
Com 7 mil participantes, sendo 5 mil acampados no local , a Campus Party oferece neste ano mais de 500 horas de conteúdo. Os principais nomes desta edição são Michio Kaku, conhecido como o "físico do impossível", Sugata Mitra, pesquisador e professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University, Julien Fourgeaud, gerente de produtos e negócios da Rovio, John Klensin, pesquisador do MIT, e Vince Gerardis, co-fundador da Created By, entre outros.
Texto: Ismael Cardoso
Fonte: Terra
Simuladores de carros e aviões fazem sucesso no Campus
Como já é tradição do evento, a Campus Party 2012 reúne fãs de simuladores de carros e aviões. Os projetos vão desde os mais básicos, como jogos de corrida ligados a volantes e pedais, até simuladores complexos, como o equipamento que simula um voo num caça e deixa o usuário de cabeça para baixo. Abaixo você confere uma galeria com alguns dos simuladores mais interessantes da Campus Party.
Fonte: IG
Campuseiros testam futuro da internet
Semana do IPv6 inclui uma série de palestras para discutir o novo protocolo de internet. Foto: Ismael Cardoso/Terra
Os milhares de campuseiros espalhados pela arena da Campus Party talvez nem saibam, mas estão ajudando nos testes para o futuro da internet. Durante o evento, acontecem testes do IPv6, novo protocolo de internet que vai substituir o IPv4 - cujos endereços estão se esgotando - e aumentar das 4 bilhões de combinações de endereços atuais para 340 undecilhões de combinações diferentes, permitindo uma nova revolução na internet.
Durante toda a semana, aproveitando a conexão de internet da Telefônica|Vivo, que conecta os campuseiros no evento já com o novo protocolo, 180 sites do País, entre eles o Terra, estão funcionando simultaneamente com ambos os protocolos, IPv4 e IPv6. "A ideia é aproveitar a conexão IPv6 nativa e o tráfego gerado nos sites participantes para que cada equipe de TI possa averiguar se está tudo certo com o novo protocolo", afirma Antonio Marcos Moreiras, coordenador do IPv6.br e gerente de projetos do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).
O teste é semelhante ao realizado no Dia Mundial do IPv6 em junho do ano passado, em que sites como Google, Yahoo e Terra realizaram testes mundialmente. "Esperamos encontrar um índice quase zero de problemas, como foi no teste de junho. No dia mundial, os sites ativaram o IPv6, mas poucos provedores disponibilizaram o protocolo para que se navegasse em IPv6. Com a conexão da Telefônica esperamos alcançar um tráfego maior", afirma Moreiras.
Para incentivar os participantes a navegarem nos sites participantes, a Semana do IPv6 inclui desafios e premiações. Os campuseiros podem baixar uma extensão para o Google Chrome no site do projeto (ipv6.br) e medir a quantidade de vezes que os sites participantes são acessados. As visitas geram pontos que vão render prêmios como smartphones e tablets para os vencedores.
A Semana do IPv6 inclui ainda uma série de palestras na área de Segurança e Redes. "Um dos grandes objetivos é gerar conhecimento sobre o assunto, urgente frente ao esgotamento de nedereços IPv4", avalia o gerente do NIC.br.
Esgotamento e revolução
Cada computador ou serviço conectado à internet precisa de um endereço que o identifique, e esses endereços estão terminando. Em países como a China - onde a internet está crescendo muito rapidamente -, ou Japão, entre outras nações asiáticas e africanas, a mudança para o novo protocolo de internet é urgente, já que são lugares com poucos endereços IP designados.
"Na América Latina e no Caribe, se a internet seguir no mesmo ritmo de crescimento, os endereços IPs devem se esgotar em dois anos", afirma Adilson Florentino, especialista em redes de computadores. "O IPv6 vai permitir 56 octilhões de endereços IP por ser humano. É um número 79 octilhões de vezes maior que a capacidade atual da rede", disse.
Além de resolver o problema com o esgotamento dos endereços IPs e impedir que o crescimento da internet pare, o IPv6 vai causar uma nova revolução e fazer com que entremos na era da "Internet das Coisas". "A rede passou por três grandes fases: primeiro, ligada a máquinas. A segunda fase, a da internet das redes sociais, deixou de conectar puramente máquinas e começou a conectar pessoas. A terceira revolução é internet das coisas: vai poder conectar máquinas com máquinas, muitas vezes sem necessidade de intervenção humana", disse o especialista.
O número impresionante de endereços vai abrir um leque de possibilidade para automação comercial e casas inteligentes, por exemplo. "TVs e geladeiras poderão estar conectadas, e o usuário poderá, por exemplo, antes de chegar em casa, pedir pra acender as luzes ou aquecera banheira", exemplifica.
E mais:
Campuseiro rouba atenção com computador de 30 mil
Dono de uma loja de informática, Adriano Fontes levou cerca de um mês para reunir todas as peças do PC. Foto: Fernando Borges/Terra
Um campuseiro que montou um computador de R$ 30 mil especialmente para o evento está chamando a atenção dos outros participantes na arena da Campus Party. O empresário Adriano Fontes, que tem uma loja de informática em Limeira, no interior de São Paulo, decidiu que sua primeira participação no evento seria para quebrar o recorde do participante que, em 2011, levou ao evento uma máquina de R$ 25 mil.
"Ele me instigou, e eu decidi que se era pra vir, seria para bater o recorde", disse. O empresário está satisfeito com a repercussão da máquina que montou e pelo assédio dos outros campuseiros em busca de informações. "Esse computador é um sonho. A molecada fica louca aqui. Se eu ganhasse por foto que tiraram, já estava rico", brincou.
As especificações de cada peça do computador criado por Martins impressionam, já que ele investiu somente em componentes topo de linha. Só a placa-mãe, por exemplo, custou R$ 2,1 mil; o processador, um Intel Core i7 Extreme, R$ 3,6 mil. O campuseiro investiu pesado, com oito pentes de 8 GB, totalizando 64 GB de RAM, uma placa de vídeo que é uma das duas únicas do País, além de um HD que tem uma taxa de transferência de 1.550 Mbps.
Martins começou a correr atrás das peças no começo de janeiro, e as últimas chegaram somente na sexta-feira. Segundo ele, depois de todos os componentes reunidos, ele demorou seis horas para montar a máquina. O fato de todas serem importadas atrasou a chegada das peças. "Infelizmente, nosso País está muito atrasado para chegar nesse nível de hardware", afirma. Para ele, eventos como a Campus Party são importantes para estimular a entrada desses componentes. "Essas feiras mostram para os fabricantes lá fora que tem muita gente trabalhando. É importante para que os fabricantes de hardware invistam aqui", disse.
Visivelmente apaixonado pela própria criação, o empresário também mostra admiração pelo trabalho dos colegas campuseiros. "A minha máquina chama a atenção por causa do hardware forte. Tem gente aqui que passa oito meses trabalhando, buscando montar a máquina mais criativa", afirmou, apontando para os casemods, máquinas customizadas de outros campuseiros.

Fonte: Terra
Atenção! Esse post pode sera atualizado à qualquer momento, com mais notícias sobre o Campus Party 2012, até sábado. Fique conectado aqui no blog.

© Cinequarto

1 Soltaram a voz!:

  1. Anônimo disse...:

    Ótimo post, resumiu tudo em apenas um isso facilita muito!!

Postar um comentário

Gostou ? Então comenta! Sua participação é muito importante para nós!

AtRaÇõEs ReCeNtEs ...








Siga-nos no Twiiter:

 
CINEQUARTO TV © 1997-2017 | Designed by Júnior GrigoloCTV Theme